0

Transformar o material do cliente em algo de interesse para a imprensa, e como conseqüência, passar para a sociedade a mensagem pretendida. O assunto pode até mudar, mas o principio continua o mesmo. Mas é o “feeling” do assessor, somado com a informação do cliente, que vai despertar o interesse da mídia.

Por esse motivo, a assessoria de imprensa se faz tão necessária. Trata-se de uma ferramenta estratégica e que, se bem utilizada, pode dar suporte para as mais diversas áreas, principalmente marketing e recursos humanos, principalmente porque trabalha valores como missão, visão, valor, identidade, uma vez que envolve todos os públicos.

Inserido no corpo de uma organização, o jornalista faz com que os seus colaboradores exerçam o seu papel social, ou seja, de um a gente que presta serviço para a comunidade, não apenas se valendo dela para aumentar o seu share. Por isso, todo serviço deve ser feito única e exclusivamente com esse fim. Infelizmente, há empresas que desperdiçam tempo e energia em publicação que de nada trarão o retorno esperado. Apenas desgastam o assessor. Empresas devem falar ao seu público-alvo. Agir de forma diferente é um convite a perda da credibilidade. Não dá para confundir credibilidade com celebridade.

Para se alcançar o resultado esperado dentro de um projeto de comunicação, é preciso contar também com o respaldo do porta-voz da empresa, ou de alguém que alimente a assessoria de informações de forma constante. Quanto mais informação o assessorado passar à sua AI, mais releases serão elaborados e distribuídos e, maior será a chance da empresa ou profissional ter seu produto ou serviço divulgado na imprensa. Afinal, assessor de imprensa não opera “milagre” sozinho.